Garimpando A Historia da Liga da Justiça Parte IV Destaque

So say we all

Começava nos quadrinhos, vindo principalmente das HQS da Image Comic´s como Spawn, WildCats, Savage Dragon, entre outros o chamado estilo muscular, que consistia em historias de enredo mais fraco, muita violência, e desenhos de personagens com autonomia exagerada. O que acabou influenciado a Marvel, e a DC Comic´s.

Na liga da Justiça isso se refletiu na forma de duas revistas derivadas marcadas por aquele estilo: Liga da Justiça Força Tarefa (grupo liderado por Caçador de Marte) e Extreme Justice (liderado pelo Capitão Átomo), mas nenhuma agradou, acabando por assim dizer, sendo o ultimo suspiro das Historias da Liga, que teve seus três títulos encerrados no de 1996.

Em uma tentativa desesperada de trazer o maior grupo de Super-herois de volta a vida, a DC Comic´s começou uma campanha agressiva de marketing que se iniciou com uma minissérie em três capítulos chamada Midsummer’s Nightmare, escrita por Mark Waid e Fabian Nicieza, onde pela primeira vez pós-Crise os sete principais personagens da DC – Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Flash, Lanterna Verde, Aquaman e Caçador de Marte – foram reunidas na Liga da Justiça. Seu QG agora era em uma torre de observação na lua, Watchtower.

Ainda na década de 90 veio à fabulosa edição do triunfal retorno, JLA#1 escrita por Grant Morrison e desenhada por Howard Porter. O fãs da Liga finalmente pareciam estar sendo ouvidos, e em atenção a suas suplicas, a JLA reuniu todos os principais heróis da Liga da Justiça, os bons tempos haviam realmente voltado, tramas mais inteligentes e complexas, uma linguagem um pouco mais adulta, e a exploração da personalidade de cada herói, resultou em números de vendas altíssimas, e um extraordinário sucesso, a revista da Liga da Justiça era novamente a mais vendida da casa.

Aproveitando o prestigio que alcançara com JLA, Morrison abriu espaço para outros desenhistas como, Mark Waid, J.M. DeMatteis e o novato Mark Millar, que se transformaria em um dos nomes mais famosos da indústria, trabalharem eventualmente no titulo.

Revigorada, ao titulo Liga da Justiça, deu-se a liberdade de se trabalhar tramas paralelas, entre elas duas chamam a atenção: Reino do Amanhã, e Ano UM.

Mas as edições da liga ainda sofriam a influencia do fantasma do estilo muscular, de toda aquela violência, e temas mais sombrios em suas historias, é fácil lembrar que naquela época Spawm estava no auge, foi então que Mark Waid e o pintor/desenhista Alex Ross produziram uma espécie de manifesto pelos valores dos heróis clássicos: a minissérie em quatro edições O Reino do Amanhã (The Kingdom Come), que já mencionei acima.

Na trama, Superman já havia pendurado as chuteiras, e se afastado da vida de Super Herói, assim como inúmeros outros heróis. Quem estava então na ativa eram seus filhos, que causavam grandes problemas por sua falta de valores, heroísmo e batalhas sem sentido, a ponto de um grupo de poderosos Metahumanos causarem uma Hecatombe nuclear que varreu o meio oeste dos Estados Unidos. Batman e Superman são obrigados a voltar a ativa comandando grupos distintos de Super-heróis para impedir a nova geração desajustada de jovens heróis despreparados.

Logo em seguida veio a saga em 12 Edições chamada Ano UM, trazendo detalhes da nova Origem da Liga da Justiça estabelecida em Crise nas Infinitas terras. O grupo era formado por Flash, Lanterna Verde, Canário Negro, Aquaman e Caçador de Marte, esta formação não tinha Batman e nem Superman. Escrita por Mark Waid e Brian Augustyn e desenhada por Barry Kitsen, Ano Um trazia os heróis mais jovens, quem disse reboot, eu concordo, em começo de carreira. De uma forma leve, pode se notar o velho tom cômico da liga de keith giffen's voltar a tona.

Mas como nem tudo são flores, bons escritores como Mark Waid, Joe Kelly e até a dupla Chris Claremont e John Byrne  que tomaram conta do título, não conseguiram a mesma adesão dos leitores. A DC Comic´s novamente teria que tomar uma decisão para o futuro da Liga da Justiça América, isso significava que mais mudanças se viriam.

 

Pelas mãos do o escritor de romances policiais Brad Meltzer, viria a seguir uma das melhores, mais sombrias, e bizarras historias da Liga da Justiça. Mas isto fica para o próximo capitulo do Garimpando, te espero la...

 

Última modificação em Quarta, 17 Fevereiro 2016 15:48

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.