Garimpando A Historia da Liga da Justiça Parte III

So say we all

Mas foi na saga Lendas escrita por John Ostrander, Len Wein, e desenhada por John Byrne que as coisas realmente começaram a mudar. Os heróis ,chamados Metahumanos, são perseguidos por um agitador chamado Gordon Godfrey usando a opinião publica contra os eles, fazendo o presidente declara-los ilegais. Na verdade toda essa perseguição fora um plano arquitetado por Darkseid, tencionado usar seu lacaio o Glorioso Godfrey para cativar as pessoas e vira-las contra os heróis, assim deixando a Terra vulnerável para uma futura invasão. Quando Godfrey e seus partidários tentaram invadir o Congresso americano usando Cães de Guerra de Darkseid, o Sr. Destino formou uma nova Liga da Justiça (ela havia sido debandada depois que Gládio e Vibro foram mortos por androides do Professor Ivo). Godfrey conseguiu roubar o elmo de Nabu de Sr. Destino, desejando seu grande poder, mas quando pôs o elmo, Nabu o tornou insano, fazendo com que todas as pessoas persuadidas por Godfrey vissem seu próprio erro em segui-lo, assim nasceria logo em seguida uma das melhores fases da Liga da Justiça financiada pelo milionário Maxwell Lord.

Heróis mais humanos e mais próximos da realidade dos leitores, era um potencial que a Marvel já explorava, ate ai tudo bem,
mas o que veio depois foi simplesmente brilhante. Um grupo de heróis mais cômico, e com tantas babaquices humanas que os novos leitores, jovens leitores no caso retornavam as fileiras.
Com roteiros de Keith Giffen, diálogos de J.M. DeMatteis e desenhos de Kevin Maguire, a nova formação da equipe trouxe toda a canalhice de Guy Gardner; a inocência do Capitão Marvel e as brigas constantes com Besouro Azul. Batman, como líder, era o ponto sério e sombrio das histórias, mas terminava participando de momentos cômicos involuntários. Relembro a cena em que Guy Gardner tem um ataque de estrelismo logo na primeira reunião do grupo e o Batman, sem dizer nada, dá-lhe um soco e o nocauteia; os outros membros ficam comemorando que o ranzinza “foi derrubado com apenas um soco!”, o que virou piada recorrente.



A partir de então, esse espirito cômico passaria a ser constante no grupo, acompanhando-os por varias formações diferentes, desde novas adesões de personagens, ate a formação de novas divisões da Liga com embaixadas espalhadas pelo mundo todo, como por exemplo no Brasil, onde a sede possuía uma piscina, a única de todas as embaixadas da Liga a ter uma, graças a um jeitinho brasileiro.





A Liga da Justiça fora dividida em três grupos, a Liga da Justiça Internacional, com Homem-Animal, Metamorfo, Poderosa, Homem-Elástico, Mulher-Maravilha, Flash (Wally West), Gladiador Dourado, o Brasil bem representado com a gatíssima Fogo, e por fim Gelo, a namoradinha de Guy, um soco, Gardner.
Nem mesmo tratando-se de temas sérios, os autores não hesitavam em criar situações estupidas, e embaraçosas. No caso da Liga Internacional, sua patrocinadora era a ONU. Preocupadas as duas maiores super potencias da época Estados Unidos, e União Soviética, conseguem junto ao conselho de segurança impor dois membros importantes na equipe da Liga Internacional, Capitão Átomo e o Soviete Supremo, representando cada um dos lados em disputa na Guerra Fria.


Em 1989, fora criada a Liga da Justiça Europa, formados por Mulher-Maravilha, Aquaman, Flash, Capitão Átomo entre outros. A zombaria era tamanha que nem a Marvel escapou, tendo um de seus heróis mais famosos parodiados na sem noção Liga da Justiça Antártida, como por exemplo o Esquiador Galáctico, arauto do Decorador de Mundos.



 
A Liga deixaria seu lado mais cômico, para entrar em uma fase mais sombria pelas mãos de Dan Jurgens,
 onde duas sagas chamam bastante atenção, como a Morte do Super homem, onde o grupo é literalmente massacrado por Apocalipse antes de fazer o azulão comer grama pela raiz, e a Mão do Destino. Nesta historia, a Liga enfrenta a versão
corrompida da Liga do Satélite, chamado de Esquadrão Relâmpago. Na verdade, o Doutor Destino estava roubando imagens da mente do Eléktron para criar duplicadas malignas da Liga da Justiça.






Pouco tempo depois, foram criadas duas series derivadas Liga da Justiça Força Tarefa liderada por Ajax, e Extreme Justice liderado pelo Capitão Átomo.
Para coroar os anos sombrios que a Liga passaria nas mãos de Dan Jurgens, no confronto contra o vilão Overmaster no arco Dia do Julgamento, a Liga vence o vilão, mas as custas da vida de uma de suas personagens mais queridas, Gelo.

Mas praticamente não houve tempo para prantear, pois chegava as bancas a saga Zero Hora, graças a uma crise causada por Parallax. Hall Jordan inconformado com a destruição de Coast City pelo Superciborgue durante a saga do Retorno do Superman, vai ate OA pedir permissão para ressuscitar as pessoas assassinadas de sua cidade, o que obviamente lhe é negado devido a real existência, e do porque serve o anel dos Lanternas Verdes, ou seja, ele deve ser usado para um bem maior, e não para um desejo pessoal. Hall ainda mais inconformado enlouquece, assim Parallax, aproveita o momento de fraqueza de Hall, e seu medo, e se apodera
 de sua mente, assassinando quase toda a Tropa dos Lanternas Verdes provocando o evento Zero Hora.





Este Garimpo continua, espero vocês ate lá...
Última modificação em Quarta, 17 Fevereiro 2016 14:53

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.